Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

PROGRAMAÇÃO

21/09 – 17h30
24/09 – 19h30
30/09 – 15h30
01/10 – 17h30

Câmera

(Camera)
2000. Canadá, 6 min.
Direção: David Cronenberg
Roteiro: David Cronenberg
Empresa Produtora: Toronto International Film Festival
Elenco: Leslie Carlson


Exibição em DVD

Este curta-metragem, com pouco menos de sete minutos de duração, foi realizado por David Cronenberg em comemoração aos vinte e cinco anos do Festival de Cinema de Toronto. Em sua homenagem à sétima arte, a pequena obra exala uma atmosfera amarga e melancólica; porém, ao mesmo tempo, o filme é poético e esperançoso. Um ator veterano está sentado na sala de uma casa, diante da câmera, dando um longo e sentido depoimento sobre sua relação com o cinema: os filmes espelham a vida, cristalizam os sonhos e a passagem do tempo, e de repente tudo o que valioso parece ter ficado no passado ou já ter sido feito. Enquanto o ator profere seu monólogo em tons grisalhos, porém, um grupo de crianças parece brincar ao seu redor, correndo pelos diversos cômodos da casa e se preparando com empolgação para filmar. Assim, mobilizam todos os equipamentos necessários para transformar aquele recinto em um set de filmagem, e o ator no protagonista que será projetado na tela. A entrada da câmera transfigura magicamente o espaço, dando um novo início ao filme dentro do filme, que o espectador passa a assistir incorporando o olhar revigorado de uma nova geração de cineastas: essas crianças que, daqui a outro quarto de século, serão os realizadores e os espectadores dos filmes do futuro.

This short, a little less than seven minutes long, was made by David Cronenberg for the celebration of the 25 years of the Toronto Film Festival. In its tribute to the “seventh art” the short exhibits a bitter and melancholic atmosphere; at the same time, however, this movie is poetic and hopeful. A senior actor is sitting in a room in his house in front of the camera, giving a long and earnest testimonial about his relationship with the Cinema: movies mirror life, embody dreams and the passage of time; but suddenly all that is valuable seems to be in the past or already done before. But while the actor performs his monologue in grayish tones, a group of children seems to playing around him, running in the house and excitedly preparing to film. In this way they assemble all the necessary equipment to turn that room into a movie set and the actor into the character that is going to be projected onscreen. The arrival of the camera magically transforms the space, giving a new start to the movie during the movie itself, which the audience begins watching through the eyes of this new generation of moviemakers: these children who 25 years from now will be the makers and the audience of tomorrow’s movies.

  Voltar para capa
Voltar para Programação